Dando uma pausa!

Oi gente, tudo bem? Hoje vim fazer um comunicado: o blog vai ficar em pausa por um tempinho. Sabe, eu tenho que tomar vergonha na cara e:

  • Ler os livros que eu ainda não li.
  • Começar a estudar (estou precisando).
  • E me preparar para os trabalhos/provas da escola!

Como vocês são lindos, vão entender, não é? Beijos!

Sky

#FicaADica Shingeki no Kyojin

Ahhhhh!! Esse anime é tão, mas tão incrível que eu só podia começar o post assim. Vamos dar uma olhadinha na sinopse?

Há décadas a humanidade foi quase exterminada pelo súbito aparecimento de seres humanoides gigantes, conhecido como Titãs. Os titãs são criaturas que, aparentemente, possuem pouca inteligência, mas com uma força quase insuperável, no qual o seu principal objetivo é devorar seres humanos, sem nenhum motivo aparente para isso. No entanto, um pequeno grupo de seres humanos sobreviveu no interior de uma cidade protegida por paredes superiores a três vezes a altura dos maiores Titãs registados até à data. Durante 107 anos, a cidade fortificada foi testemunha de ataques sem sucesso dos Titãs. Numa grande cidade localizada na parte periférica da muralha vivia Eren Jeager, com seus pais e sua amiga, Mikasa Ackerman, que estava sobre os cuidados da família. Eren vivia uma vida pacata, porém incomodado com o conformismo das pessoas que haviam aceitado a sua condição de passar a eternidade dentro dos muros, e desistindo de lutar contra os titãs. A paz durou até ao aparecimento de um titã colossal, que superava em alguns metros o tamanho da muralha. Este titã destruiu o portão da cidade onde vivia Eren, que ligava a muralha ao “mundo exterior”. Com isso, uma grande quantidade de titãs menores pôde entrar, ocupando grande parte do território até agora pertencente aos humanos. Durante este evento, Eren e Mikasa presenciam o horror de ver sua mãe ser devorada viva. Após este trauma Eren jurou exterminar os titãs, e entra no exército para cumprir seu objetivo.

Tirada da nossa querida amiga de longa data, a senhorita Wikipédia.

Bom, só dessa sinopse já parece um anime super awesome, não? Pois, acreditem, ele conseguiu SUPERAR as minhas expectativas (que já eram grandes)!

Nosso protagonista é o Eren Jaeger, que desde pequeno sonhava em entrar na tropa de exploração para caçar os titãs. Ele não se contentava em viver no “gado” que os humanos sobreviventes viviam. Para explicar melhor, desde que os titãs apareceram os humanos que restaram ergueram três muralhas – Maria, Rose e Sina (ou Shina, nem lembro) – e vivem dentro delas desde então. Eren mora – com sua família, a irmã adotiva Mikasa e o amigo Armin – na muralha Maria.

Porém, como tudo que é bom dura pouco, depois de cem anos a muralha Maria é invadida e Eren, Mikasa e Armin presenciam esse evento. Um titã com mais de cinquenta metros quebra a muralha e possibilita a entrada de outros titãs. Eren e Mikasa veem a mãe morrer bem na frente de seus olhos (isso não é exatamente um spoiler, acontece no primeiro capítulo e tem na sinopse) e eles são salvos pelo sr. Hannes, um soldado de patrulha que tinha uma dívida, eu acho, com a família do Eren. Ocorre um grande massacre e os sobreviventes vão para a muralha Rose. Depois disso Eren fica muito revolts e agora não tem mais dúvidas de que quer ser soldado e exterminar todos os titãs.

Eu não posso contar mais coisas se não seria realmente spoiler, mas basicamente eles vão treinar para serem soldados (Eren, Mikasa e Armin), cada um por um motivo diferente. E no treinamento se percebe que cada um tem algo que os fazem ser notados. No caso do Eren é sua dedicação e força de vontade acima do normal, Mikasa é uma prodígio em tudo o que faz e Armin é muito inteligente, estratégico e sempre toma as melhores decisões. A história esconde vários segredos e temos muitas revelações durante os episódios que nos deixam de queixo caído.

BADASS MIKASA

Todos os personagens de Shingeki no Kyojin são incríveis, desde os principais até os mais secundários, como o Jean, a Sasha e o cabo Rivaille (é assim que se escrever o nome dele?). Bom, é melhor eu comentar cada um separadamente.

A Mikasa é uma garota que vai morar com o Eren por motivos que seriam spoiler (um spoiler fraco e que não muda nada mas eu prefiro deixar mistério) e ela sente que ele é a única família que restou para ela. Claro, Eren é todo orgulhoso e não gosta do jeito super-protetor da Mikasa, mas mesmo assim ela mesma admitiu que vai para onde o Eren for. Ela também é toda centrada e não deixa as emoções a influenciarem, o que a faz um soldado excelente.

BADASS MIKASA 2

O Armim é um menino muito legal mas que tem um complexo danado de encosto. Ele sempre se sente mais fraco e um empecilho para os seus amigos, o que se prova não ser verdade porque suas decisões já salvaram eles uma vez. Ele é muito inteligente e essa inteligência ajuda em vários momentos da história.

Jean é um cara muito honesto e que entrou para o treinamento com intenção de virar policial e viver bem na capital, e ele deixa isso bem claro o tempo todo. Ele também tem uma quedinha pela Mikasa (mas que nem aparece muito). É um bom líder, copiando o discurso do Marco no anime, pois ele é fraco e por isso consegue ver a melhor maneira de lidar com uma situação, vendo o ponto de vista da maioria dos soldados.

A Annie é uma garota durona que também quer viver em segurança na capital e tem um passado bastante misterioso. E é tudo que eu vou dizer sobre ela por MOTIVOS!

A Sasha é meio que o alívio cômico do anime, desde a primeira vez que a vemos nós rimos kk. Ela é bem divertida mas se pode ver que muitas vezes ela quase sucumbe ao enorme medo pelos titãs.

E por fim, mas nunca menos importante, temos o cabo Rivaille. Depois de acontecimentos que acontecem (nossa, olha essa frase) ele acaba meio que “tomando conta” de Eren. E ele não é o cara mais gentil do mundo, se é que me entendem. Porém mesmo assim é um soldado exemplar e extremamente habilidoso (ele é tipo a Mikasa homem) e seus soldados confiam muito nele. E ele é AWESOME, apenas.

E as meninas de plantão (na verdade, talvez até os meninos) devem estar se perguntando: tem romance?

Bom, essa é uma pergunta complicada porque, na minha opinião, existe um casal. Só que eles não são ainda um casal. E é meio complicado mas eu acho que vamos ter mais deles depois. Vocês devem estar se perguntando quem são.

Para falar a verdade é até meio óbvio:

EREN E MIKASA!!!

Eu super torço para esse casal e acho eles incríveis juntos, mesmo sentindo a falta de cenas mais, não sei, “presentes”? Porque toda vez que eles conversavam eles nem pareciam um futuro casal (porque eu tenho poderes psíquicas e SEI que eles serão um futuro casal), mas ainda sim eles são muito fofos e JKSHJHJLKJHASHHG!!

Na minha opinião a Mikasa gosta bastante do Eren, mas aquele besta parece um Percy da vida (nada contra você, Percy, mas você é muito lerdo) e NÃO PERCEBE! Não posso culpar ele também porque o coitado já tem coisa demais na cabeça e o foco do anime nem é romance, mas ele bem que podia deixar de ser um PALERMA!(Hahaha eu acho essa palavra tão engraçada).

Em um resumo muito resumido (nossa, eu tô que tô hoje) eu posso dizer que o anime em si é: ODKSEKHKJJSDJHAJJHXDJAHJDHLJKAHSLJHDDJKHIWHDIWHJSH

KHCFKSHDFJHKJSHFKHSFKHÇSAJDKHHDIHWIFHIUHFIJHWJHFJEHJFH.

Eu amei e entrou para o meu hall de favoritos e mal posso esperar pela segunda temporada, porque tem que ter, ou não teria um final VAGO daqueles (fiquei com mais perguntas que respostas).

Sky off

Respondendo Tags! Um livro…

Olá! Resolvi começar a responder tags no blog, e essa é a inicial. Eu peguei desse blog, que consequentemente pegou de outro, mas tanto faz.

1 – Um livro que introduziu você na leitura.

Bom, quando eu era pequena eu simplesmente amava ler diários. Sabe, tipo Querido Diário Otário e Diário de uma Garota Nada Popular. Mas ainda sim acho que o livro que realmente me levou para o mundo da literatura foi A Chave para Rondo. Não é um livro muito famoso e é escrito pela Emily Rodda (aquela de Deltora Quest, já devem ter ouvido falar).

Eu gostei bastante dos principais, os primos Leo e Mimi

2 – Um livro que você dá mais um final.

Olha, eu vou dar uma roubada nessa questão. Eu só li o primeiro, mas por causa de spoilers everywhere, eu acabei sabendo o final do terceiro. E eu fiquei chocada com a coragem da autora. Vocês já devem até saber de que livro eu estou falando: divergente. Então é esse o livro que eu daria outro final.

Tia Veronica, você não deixa escapar ninguém, hein?

3 – Um livro que você gostaria de escrever para você.

Eu acho que devo ter uma necessidade de citar esse livro toda hora kkk. Mas sério, eu amo ele e adoraria tê-lo escrito. Até porque adoro steampunk + aventura + guerras (ok, devo ter algum problema para gostar de guerras).

Aranhas berrantes!

4 – Um filme de um livro que você amou e odiou.

Essa aqui é bem óbvia. Percy Jackson é uma ótima série mas os filmes pecaram muito em vários aspectos (que vocês já devem saber bem).

5 – Um livro que você não podia parar de ler.

Eu simplesmente adorei A Seleção. Quando eu peguei o livro para ler eu não conseguia parar. Imagina o meu sofrimento quando fui forçada a sair antes de conseguir terminar de ler? Eu quase morri e não via a hora de voltar para casa.

America, uma das primeiras redheads que li como protagonista

6 – Um livro cuja capa você mais gosta.

Essa foi meio difícil porque eu amo a capa de A Seleção, mas acabei escolhendo O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks, que eu adoro.

Frankie, a garota mais afiada que já conheci

Bom, é isso, espero que tenham gostado. Eu acho bastante legal responder tags então esperem muitas daqui para frente.

Desligando.

Sky

Castelo Animado, uma animação muito fofa (e em estilo anime)!

O castelo doido do Howl

Alguns de vocês já ouviram falar da Diana Wynne Jones? Sim? Não? Bom, ela é a autora do livro que inspirou esse filme. Ela não é muito famosa aqui no Brasil mas já vi várias pessoas elogiando horrores ela (quer dizer, elogiando bastante, a frase ficou meio confusa). Infelizmente, a mesma já faleceu a alguns anos.

Mesmo eu só tendo visto o filme e começado a ler um livro dela agora (os Mundos de Crestomanci) já fico triste.

Bom, o que posso dizer do filme é que: ele é uma graça!

Howl se apresentando

O filme fala de Sophie, uma jovem moça que é enfeitiçada e se transforma em uma velha senhora. Ela decide sair de casa e abandonar a chapelaria aonde trabalhava para procurar um jeito de desfazer o feitiço. Ela consegue encontrar (com a ajuda de um espantalho) o castelo de Howl, um mago bastante conhecido. A partir dai ela começa a trabalhar como empregada – se não me engano – lá e começa a viver aventuras (nossa, essa parte ficou meio vaga e à la Sessão da Tarde).

Imagine só: um dia você acorda, vai se arrumar e vê uma senhora estranha no seu quarto. Só que, na verdade, essa velha estranha é você. Pra falar a verdade, não lembro se foi assim que aconteceu mas…

Calcifer, o demônio mais fofo que já existiu!

Todo o filme se passa assim, eles no castelo mais doido do mundo que anda. Sim, é um castelo que anda. Por que?

É isso que o castelo dirá da sua pergunta boba. Claro, se ele tivesse boca.

Uma das partes mais legais do filme são as interações de Sophie e Howl e fica meio óbvio que vai rolar um romance e tals mas meio que demora para acontecer.

Oh God, isso foi um spoiler

Bom, a vida é assim.

Tem vários personagens além desses, como o Calcifer (da foto), o aprendiz Markl, a madame Suliman e etc.

Também tem um clímax na história no final bem bacana, mas não posso dizer mais detalhes pois:

1) Seria spoiler

2) Minha memória está danificada por excesso de pipoca de chocolate (porque queijo é para os fracos)

Olha a danadinha aqui!

Bom, tudo o que posso dizer agora é: vejam!

Mas, se vocês forem daqueles que preferem ler o livro antes (porque eu vi que tem algumas diferenças na wikipédia) aqui vai a capa:

É da Galera Record, mas vocês já devem ter percebido

Beijos

Sky

Steampunk

Olá pessoas! Antes de tudo devo me desculpar pela minha ausência essa semana. Sabe como é, vida escolar e tudo mais…

Porém eu voltei!

Hoje vim falar de outro gênero, o steampunk!

Cosplay de Steampunk

Como eu já tinha falado antes, na matéria sobre dieselpunk, steampunk é um gênero, literário ou não, sobre a era vitoriana (geralmente) e máquinas movidas a vapor. Se tem uma coisa que você precisa entender sobre esses gêneros é que eles pegam a tecnologia do passado e a mesclam com as do futuro (lembra de Leviatã?). Aqui vai uma definição mais detalhada:

Steampunk é um subgênero da ficção científica, ou ficção especulativa, que ganhou fama no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. Trata-se de obras ambientadas no passado, no qual os paradigmas tecnológicos modernos ocorreram mais cedo do que na História real (ou em um universo com características similares), mas foram obtidos por meio da ciência já disponível naquela época – como, por exemplo, computadores de madeira e aviões movidos a vapor. É um estilo normalmente associado ao futurista cyberpunk e, assim como este, tem uma base de fãs semelhante, mas distinta.

Peguei daqui.

 

Finn versão steampunk!

Se vocês quiserem ver uma matéria mais completa sobre steampunk entrem aqui. Se vocês quiserem ver alguns livros de steampunk, aí vai:

 

Eu já li, é muito bom

Já viram o filme?

Como podem ver, diferente do dieselpunk, o steampunk é bastante famoso. Bom, é isso.

Adios.

Sky

#FicaADica do primeiro dorama: Dream High!

Buenos días (ou noches, dependendo de quando você estiver vendo isso)! Agora eu vou falar de um dorama no blog pela primeira vez! Ebaaaaa!

Mas o que é um dorama?

Bom, dorama, ou dramas asiáticos, são como micronovelas (que variam de 10 a 25 capítulos, dando uma estimativa muito errada da minha parte, mas acho que deu pra entender porque é micro né?) que passam na Ásia no lugar das nossas queridas novelas de cento e poucos capítulos.

E é a vez de Dream High!

Vamos ver um resuminho:

Seis alunos do Kirin High School tem o sonho de se tornarem ídolos do K-pop. Durante seus anos de escola, eles aprendem a desenvolver as suas habilidades no canto, na dança e na composição ao se submeterem a um crescimento pessoal. Eles também passam por sua vida amorosa e começam a desenvolver sentimentos um pelo outro. Cada um dos alunos tem seus próprios pontos fortes e fracos, mas eles se esforçam para aceitar o apoio e a orientação de um ao outro.

Essa sinopse da wikipédia é meio fraquinha, mas vamos usá-la para você se orientar em toda a resenha!

Hye Mi (primeira garota da fotoé uma garota arrogante e meio malvada que tem como seguidora a tímida Baek Hee (segunda garota da foto), que trata muito mal (ou pelo menos de modo frio).

Um dia, por causa de uma dívida, Hye Mi tem que entrar para a Kirin High School, uma escola para futuras estrelas do K-pop (tipo de música lá da Coréia, no Japão é J-pop) e Baek Hee faz a inscrição também e elas cantaram a música do teste juntas.

Só que, como eu já contei, a Hye Mi é arrogante e desprovida de emoção, o que acaba impedindo ela de entrar na escola. Só que Baek Hee é aprovada e isso deixa Hye Mi meio revoltada, que fica falando que ela que deveria ser aprovada, e não a Baek Hee, o que também acaba revoltando a outra.

No final, nada do que Hye Mi fala adianta e Baek Hee entra sozinha para a escola, deixando a falsa amiga para trás. Baek Hee fica tão revoltada (nossa, eu já usei três vezes essa palavra) que corta o cabelo e muda totalmente o visual.

Só eu que achei meio doido o jeito que ela cortou o cabelo?

Porém, como sempre, há uma reviravolta e Hye Mi consegue entrar na escola através de um programa criado pelo diretor chamado Dream High. E é lá onde ela conhece Jin Gook (ok, na verdade eles já se conheciam, mas isso vocês vão ver no dorama), Sam Dong e Pil Suk.

Jin Gook (último cara da foto) é um cara que tem problemas com o pai e gosta muito de dançar e cantar (mas ele não tinha a intenção de entrar no Dream High, e o resto você vê no dorama). A própria Hye Mi vai atrás do Sam Dong (primeiro cara da foto), que morava no interior com a mãe e disfarçava seu talento para cantar porque, se não me engano, ele não queria ir para cidade e abandonar a própria. Ele sofre uma transformação nos primeiros capítulos e é apaixonado pela Hye Mi desde que eles se encontraram. Já Pil Suk é uma garota talentosa, mas com problemas de peso, porém não por muito tempo, então acaba ficando no Dream High mesmo tendo passado na audição (sim, Dream High é meio que um programa para os que ainda têm defeitos a concertar antes de virarem famosos). Ela é apaixonada por Jason, que não está no Dream High, e é um dançarino – e também cantor – bastante habilidoso, mas que por causa disso quase sempre não se esforça para nada.

Ah, e vocês devem estar pensando: e a Baek Hee? Bom, ela meio que vira do mal por causa de toda a amargura dentro dela, não só pela Hye Mi, mas também porque, não importa o quanto ela se esforce, ela não tem talento natural.

Como eu já tinha falado antes, Hye Mi tinha um problema com dívidas deixadas pelo pai então ela tem que ir morar, junto de sua irmã menor, com o Professor Kang (o suposto cara com quem a mãe “fugiu” e também o responsável pelo projeto Dream High). Jin Gook e Sam Dong também vão morar com ele.

Aos poucos Hye Mi vai mudando e virando mais “humana”, digamos. E também vai se formando um triângulo amoroso: Hye Mi x Sam Dong x Jin Gook. E, pra ficar ainda mais complicado, Baek Hee acaba se interessando por Jin Gook, mas nem posso considerar como um triângulo amoroso, já que ele nem liga muito para ela.

Existem vários momentos hilários em Dream High, que vão fazer você rir até se acabar, principalmente vindos do professor esqueci-o-nome (mas dá pra ver a foto dele aqui em baixo):

Porém, como nem tudo são flores, acontecem também coisas muito ruins, principalmente com Sam Dong e Baek Hee. Mas no final tudo acaba bem (e que final surpreendente viu! Pelo menos na minha opinião).

Existe uma continuação de Dream High, chamado Dream High 2 (nossa, criatividade modo on), mas sem os mesmos personagens principais, porém têm a participação deles na continuação.

Spoiler do final (não veja ou clique em nada se você ainda não viu o dorama inteiro): A Suzy (Hye Mi) teve uma campanha onde ela meio que teve o “reencontro”, mas não é oficial, foi só uma brincadeira. Ainda sim eu achei fofo, veja a foto aqui e a matéria em inglês aqui.

Para baixar o dorama entre aqui.

Sky off.

Literatura Brasuca! 2° parte

2° parte do post! Vejam as autoras que falam sobre nossas vidas, sem fantasia, mas com um toquezinho mágico nas palavras 😉

Paula Pimenta

Paula Pimenta nasceu em Belo Horizonte – MG. Desde criança apresentou aptidão para a escrita e por esse motivo prestou vestibular para Jornalismo, embora tenha transferido para Publicidade, curso no qual se formou na PUC Minas. Estudou também Música na UEMG, deu aulas de violão e técnica vocal por vários anos, e é compositora.

Sua carreira de escritora começou em 2001, com o lançamento do livro de poemas “Confissão”, que foi relançado em 2013. Ficou realmente conhecida do grande público em 2008, quando lançou “Fazendo meu filme 1” pela editora Gutenberg. Publicou “Fazendo meu filme 2”, em 2009, “Fazendo meu filme 3”, em 2010, e “Fazendo meu filme 4”, em 2013, que – assim como o primeiro – são grandes sucessos juvenis. Em 2011 lançou uma nova série, “Minha vida fora de série”, que já conta com dois volumes. Em 2012 publicou também o livro “Apaixonada por palavras”, uma coletânea de crônicas.

Nem precisaria, mas vou colocar a sinopse de “Fazendo meu Filme” mesmo assim:

Tudo muda na vida de Fani quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. 
“Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades. 

Skoob

Thalita Rebouças

Nas palavras da própria Thalita: “Sou fofa. Pelo menos é o que dizem as boas línguas.
Nasci no dia 10 de novembro de 1974, sou carioquésima (daquelas que louvam o Rio e agradecem diariamente por ser de uma cidade tão linda e especial), empolgada, teimosa, escorpiana, portelense, Fluminensesesê!, abracenta, sorridente, chata à beça na TPM, chorona (do tipo ridícula, choro até vendo comercial de detergente), alucinada por sambas e marchinhas de Carnaval, louca por brigadeiro (para comer de colher) e adrenalina — já saltei de pára-quedas e asa-delta algumas vezes — e viciada em algumas séries de TV (Friends, Seinfeld, Sex and The City, Lost e Desperate Housewives são minhas preferidas).
A vontade de escrever nasceu quando eu era criança. Do alto dos meus 10 anos eu me autodenominava “fazedora de livros”.

Sinopse de “Ela disse, Ele disse”:

Alternando as vozes de Rosa e Leo, ambos adolescentes de 14 anos novos no mesmo colégio, Ela disse, ele disse é um divertido romance que mostra como meninos e meninas podem sentir as mesmas coisas, mas pensar e agir de modo muito diferente. Por muito pouco, a timidez de um pode virar antipatia na cabeça do outro; por outro lado, uma reação mais alegre e espontânea corre o risco de ser interpretada como “mole” pelo sexo oposto. Não é à toa que, do alto dos seus 14 anos, Rosa conclui que “garotos são feitos de outro tipo de massinha”. Mas apesar de todas as diferenças, os olhares desses dois filhos únicos de pais separados insistem em se cruzar desde o primeiro dia de aula na escola Dinâmica. Ele foi logo puxando conversa com ela, deslocada no canto da sala. “Ai, que fofo”!, pensa Rosa, já certa de que Leo, além de muito educado, estava superinteressado nela; mas tão rápido e descolado quanto demonstra ser para se aproximar, não pensa duas vezes antes de dar as costas à garota e se juntar à ala masculina da turma para integrar o time de futebol na hora do recreio. “Garotos… humpf”!. Para Leo, no entanto, tudo é muito simples: “Tinha uma carteira vazia perto da janela e fui direto para lá. Para evitar ficar calado e com cara de desentrosado, puxei logo papo com uma menina que parecia estar sozinha”. E quanto ao convite para o futebol, bem, existe outra resposta possível para um garoto neste caso a não ser um objetivo e certeiro “Tô dentro”? “No vestiário, depois da pelada, eu já me sentia parte do grupo”, revela; enquanto Rosa fica tentando entender por que os meninos viram melhores amigos em questão de segundos quando esta palavrinha mágica chamada futebol entra em campo. Temas como amizade, bullying, respeito às regras e a relação entre pais e filhos também estão presentes no livro, abordados com a naturalidade e a descontração características da autora. E como num quebra-cabeça em que cada peça se encaixa perfeitamente à outra, a narrativa se desenrola revelando, com ritmo e bom humor, os sonhos e angústias de meninos e meninas diante de cada situação, com direito a passagens hilárias causadas pela difícil comunicação entre os sexos. Ela disse, ele disse mostra por que Thalita Rebouças é a escritora mais amada pelos adolescentes. E nisso meninas e meninos concordam! 

Skoob

Carina Rissi

Carina Rissi é uma leitora voraz, sempre lê a última página de um livro antes de comprá-lo e tem um fascínio inexplicável pelo tema “amores impossíveis”. Vê nas obras de Jane Austen uma fonte de inspiração.
Quando se desgruda dos livros – tanto dos que lê quanto dos que escreve –, Carina se diverte assistindo a comédias românticas ao lado da família e planejando viagens a lugares exóticos que não conhecerá tão cedo, devido ao seu pavor de avião.
Ela nasceu em Ariranha, interior de São Paulo, onde mora atualmente com o marido e a filha, após ter vivido uma curta temporada na capital paulista.
Seu primeiro livro, Perdida: um amor que ultrapassa as barreiras do tempo, foi publicado na Alemanha, onde entrou para as listas de mais vendidos.
Procura-se um marido é seu segundo livro.

Sinopse de “Perdida”:

Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos…

Skoob

Babi Dewet

Babi Dewet nasceu dia 30 de dezembro de 1986, no Rio de janeiro. No início da adolescência, morou em Alto Paraíso (GO). É formada em Cinema e dona de uma escola com o projeto de reeducação para jovens. Se considera uma eterna adolescente, sempre em busca da Terra do Nunca. Leitora assídua, é apaixonada por cultura pop, literatura fantástica e bandas britânicas. Fã de carteirinha de fenômenos como Harry Potter e Crepúsculo, também adora os clássicos de Jane Austen e espera um dia conseguir criar personagens tão fortes como os do André Vianco. Seu maior sonho era ser uma estrela do Rock, mas sem talento musical, encontrou nos livros sua verdadeira vocação.

Sinopse de “Sábado à Noite”:

É o primeiro livro de uma trilogia repleta de amor, música e amizade. Amanda é popular na escola e os amigos do seu amigo de infância são considerados os ‘marotos’ do pedaço por desrespeitarem as regras. Tudo ao seu redor acaba desmoronando quando um amor mal resolvido volta à tona e a sua amizade é posta em prova. Se não bastasse, seu diretor resolve dar bailes aos sábados e uma misteriosa banda mascarada foi convocada pra tocar. Mas suas letras dizem tanto sobre ela… Afinal, quem são esses mascarados de Sábado à Noite?

Skoob

Íris Figueiredo

Iris Figueiredo nasceu na região metropolitana do Rio de Janeiro. Graduanda em Comunicação Social pela UFRJ e apaixonada por leitura, cansou de viver histórias inventadas por outras pessoas e resolveu criar as suas. Seu blog é http://www.literalmentefalando.com.br/
Sinopse de “Dividindo Mel”:
Todo mundo sabe o que é se apaixonar: o frio na barriga, os abraços, os beijos e os sorrisos. Só que ninguém gosta quando o relacionamento dá errado e termina de uma hora para a outra, sem explicações. Melissa sabe muito bem disso. Afinal, ela nem chegou a duas décadas de vida e possui uma lista de ex-namorados (e alguns ex-qualquer-coisa-indefinida) maior do que gostaria. Mel prometeu para Rebeca, sua melhor amiga, que agora iria focar em seu futuro e deixar os relacionamentos para depois, pois tendiam a terminar mais rápido do que começavam. O que ela não esperava era conhecer, por acaso, um cara maravilhoso que parecia o Príncipe Encantado com quem tanto sonhou. E, menos ainda, que seu melhor amigo voltaria para a cidade trazendo consigo um monte de lembranças e acontecimentos especiais. E agora, como ficará o já cansado coração da dividida Mel? 
Dayse Dantas

Dayse Dantas nasceu em 1990, mora em Goiânia, estuda Letras na Universidade Federal de Goiás e dá aulas de inglês. É conhecida mundialmente (ou nem tanto) por seus tweets em Caps Lock e faz parte da equipe do blog “Nem Um Pouco Épico”. Quando adolescente queria ser uma “jornalista super descolada que escreve ficção por hobby”, mas ao iniciar a faculdade de Jornalismo percebeu que queria contar histórias e criar mundos ao invés de elaborar notícias chatas. A autora lançará seu primeiro livro “Nada dramática” em novembro de 2013, pela editora Gutenberg.


Sinopse de “Nada Dramática”:

Camilla Pinheiro conseguiu passar sua vida escolar praticamente ilesa, sem se envolver em dramas adolescentes. Isso é uma grande vitória para ela, que sempre foi muito aplicada nas aulas. E pretende continuar assim, agora que está no terceiro ano do ensino médio do colégio Coliseu, um dos mais puxados e concorridos de Goiânia. Sempre organizada, seus planos para o último semestre se resumem a um só objetivo: passar no vestibular com as melhores notas. Porém, graças a uma confusão amorosa envolvendo seu melhor amigo, Camilla vê seus dias calmos de estudos se transformarem, em meio a revoluções escolares, brigas familiares, intrigas na turma, dúvidas sobre o futuro e até uma inesperada paixão, que ela insiste em negar para si mesma. Para se abstrair do mundo real, agora virado de cabeça para baixo, ela posta em seu blog as aventuras da “Agente C”, sua identidade nada secreta para quem a conhece e sabe o que é viver um dos períodos mais intensos da vida.

Skoob

Prontinho! Espero que vocês tenham gostado das duas partes do post.

Desligando

Sky